Chapada: Cineclube Fruto do Mato faz sessão em comunidade quilombola em Lençóis

Matéria em áudio:

Serão exibidos filmes de diretores baianos na Escola Municipal Irineu Dutra
Foto: Reprodução/EBC

O Cineclube Fruto do Mato realizará uma sessão para moradores do Território Quilombola de Iúna, que fica localizado a cerca de 18 quilômetros de Lençóis, na Chapada Diamantina, na próxima sexta-feira (17). Essa é a segunda comunidade quilombola pela qual o cineclube passa, a primeira foi a do Remanso. Serão exibidos filmes, de diretores baianos, na Escola Municipal Irineu Dutra, com sessões gratuitas para crianças, jovens e adultos. A comunidade de Iúna, com 250 habitantes, é formada por famílias remanescentes de quilombo e está localizada numa área de 1,4 mil hectares.

De acordo com historiadores, ela se formou após uma grande seca que assolou o Nordeste do Brasil em 1932, fazendo com que muitos quilombos fossem abandonados e formando outras comunidades nas margens dos rios. Hoje, os moradores de Iúna vivem da pesca e da agricultura de subsistência. A comunidade fica no Marimbus, uma área pantanosa, alagada, semelhante ao pantanal com biodiversidade, fauna e flora específica. O Cineclube Fruto do Mato tem o objetivo de levar cinema baiano, gratuitamente, para moradores e visitantes da cidade de Lençóis.

Os participantes têm a oportunidade de conhecer a cinematografia do estado da Bahia desde os primeiros filmes realizados no início da década de 60, passando pelo Cinema Novo, até as obras produzidas nos dias atuais. As sessões do cineclube acontecem semanalmente até o dia 25 de julho deste ano. A programação será alternada entre o Teatro de Arena de Lençóis e as escolas públicas da zona urbana e rural.

O Cineclube Fruto do Mato é um projeto do Edital Setorial de Áudio visual 2016, com apoio financeiro da Fundação Cultural do Estado da Bahia, Fundo de Cultura e Secretaria de Cultura da Bahia. A iniciativa tem ainda o apoio da Diretoria de Audiovisual do Estado da Bahia (DIMAS). Do Jornal da Chapada com informações de assessoria.


Comentários

Deixar uma Resposta